Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Gato Vadio | 05.03.12

A arte da guerra

A arte da guerra

 

Não compreendo que se repitam os mesmo erros em todo o lado. Em galerias pequenas e sem recursos, como em galerias afamadas e abastadas ou mesmo museus. Instalam-se uns focos de luz que obrigam a espreitar da esquerda e da direita para ver a imagem, nunca se conseguindo ver a coisa toda sem a interferência dos focos de luz em vidro todo ele reflector. Custa-me acreditar que estes senhores nunca tenham ouvido falar de luz difusa ou vidro anti-reflexo. Ou, ainda pior, que nem pensem nisso. Mas adiante, que se for referir a dificuldade de leitura dos textos de apoio de cada poster e de contextualização da exposição, nunca mais saímos daqui...

 

A arte da guerra

 

Não obstante as condições referidas, o tema consegue absorver e impôr alguma reflexão...

 

A arte da guerra

 

Mais do que o apelo ao patriotismo, é perturbadora a percepção da tensão que se vivia, principalmente na que os governos imprimiam nas pessoas, comunicando-lhes a sua própria responsabilidade no desfecho da guerra. Isso e o lado religioso da propaganda: Como a religião mostra um Cristo com olhos de cãozinho abandonado a exigir a compaixão das pessoas em troca da sua absolvição, na propaganda da guerra temos o soldado a fazer esse papel, onde a compaixão solicitada tinha especificidades próprias: o dízimo que levaria à vitória.

 

A arte da guerra

 

Vale a pena visitar, aproveitando o alargamento do período de exibição. Não consigo confirmar a data limite desta exposição, em grande parte porque o website do CCB é uma nulidade de usabilidade e coerência. Deixo o link e boa sorte :-/

 

Post scriptum: Clicando nas imagens entra-se no set do flickr e há mais uma meia dúzia.

Autoria e outros dados (tags, etc)




moradores

 

um gato no telhado, uma humana por casa e uma erva no canteiro