Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Gato Vadio, em 25.04.12

Avenida a baixo

Antes da manifestação, ainda alguns terminavam os seus cartazes, começava a chover.

 

Havia pick-nick no Carmo a partir do meio dia mas arrastei-me preguiçosamente e fiz-me aos quintais já passava das duas da tarde.

 

Beijinhos e abraços, Há quanto tempo, Cá estamos, Bora lá. E desata a chover.

 

Chamam-lhe chuva-molha-parvos por ser miudinha e serem alguns parvos por acreditar ser coisa pouca. E parvos não faltavam.

 

Havia-os de preto com cartazes.
De cor-de-rosa com tambores.
E gaitas de foles, castanholas, altifalantes.
Bandeiras, disfarses e lonas.
Mascarados e desmacarados, brancos e pretos.
Novos e velhos.

 

E até amigos de quatro patas que os donos não deixaram em casa e foram todos aproveitar o passeio. Cada grupo gritava as suas palavras de ordem. Sobre a maternidade alfredo da costa, a troika e o desemprego. O costume. Sentia-se um não-sei-quê de gasto. Mas subitamente ganhei o passeio: Uma cover de uma música de António Variações, com a letra adaptada à actualidade:

 

Quando o governo não tem juízo

E gasta muito mais do que é preciso

O povo é que paga

O povo é que paga!

Deixa-o pagar, deixa-o pagar

(tcharap-tap ta-ra, tcharap-tap ta-ra)

Se estás a gostar...

 

Cheguei ao Rossio encharcado até aos ossos e bigodes colados ao pêlo. Chovia sem tréguas havia mais de três horas e a chegada foi para a maioria a hora de desmobilizar. E eu também fui.

 

 

Manifestantes encharcados, no fim curto mas chuvoso passeio avenida a baixo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

21:45



 



Subscrever

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Condomínio

Neste prédio vivem criaturas fora de série, mas no sentido desmiolado da expressão :-/


Gato Vadio

Erva Daninha

Crocodila Maria

Humana

Há gatos a patrulhar o prédio, mas apenas o vadio sobe ao telhado. Temos ervas daninhas, quase todas com estatuto de flor de estufa. A última aquisição foi a Maria, encarregada de patrulhar e controlar os insectos do jardim. A pôr ordem nisto tudo, uma humana cuja principal função é impedir que as patrulhas se cruzem :-s