Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Gato Vadio | 24.12.11

Natal vadio

vintage armchair

 

Nesta altura do ano é normal ir pelas ruas e encontrar coisas que as pessoas resolveram substituir para a festa. Bengaleiros, cadeiras, cómodas, televisões, aquecedores, enfim. Aproxima-se o dia e um gene elouquecido acorda e vem com a ideia brilhante de que com esta ou aquela (e porque não ambas) coisas novas o dia será muito melhor, mais significativo e beca beca...

 

Dizem que é da crise que não se tem gasto tanto dinheiro. Em prendas mas também em coisas desnecessárias. E serão as prendas necessárias? Ah, sim, tinha prometido não dizer mal da festa das famílias... O fato é que achei os passeios mais limpos do que é costume na véspera de natal na cidade. De objetos e de pessoas.

 

Não compreendo o natal, nem do lado da religião nem do lado social e familiar. No natal alimentam-se e agasalham-se pessoas que em janeiro estarão por sua conta e risco. É mais medático fazer voluntariado no natal do que em qualquer outra altura, sendo por isso a altura mais concorrida. As famílias que se ignoram todo o ano (menos em velórios que casamentos já ficam caros aceitar) vestem o que consideram as suas melhores roupas para estar com os seus no natal. Picado o cartão, até para o ano. 

 

wake up to kitty cuddles: adopt atom

 

É mil vezes mais realista espreguiçar-me de pijama enquanto aproveito o fim de semana de folga :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

cenas ao molho:



moradores

 

um gato no telhado, uma humana por casa e uma erva no canteiro